Portas Abertas

Portas…
Se você encontrar uma porta á sua frente você pode abri-la, ou não.
Se você abrir a porta, você pode, ou não entrar em uma nova sala. Para entrar;
você vai ter que vencer a dúvida.
O titubeio ou o medo.Se você venceu,você da um grande passo:Nesta sala vive-se.
Mas, também tem um preço: São inúmeras outras portas que você descobre.
O grande segredo é saber: Quando e qual a porta que deve ser aberta.
A vida não é rigorosa. Ela propicia erros e acertos. Os erros podem ser
transformados em acertos quando com eles se aprendem.  Não existe a segurança do acerto eterno.
A vida é humildade.Se a vida já comprovou que é ruim, para que repeti-lo?
A humildade dá a sabedoria de aprender e crescer também com os erros alheios.
A vida é generosa. A cada sala que se vive, descobrem-se outras portas. A vida
enriquece a quem se arrisca a abrir novas portas.
Ela privilegia quem descobre seus segredos e generosamente oferece afortunadas
portas.
Mas a vida também pode ser dura e severa .Se você não ultrapassar a porta,você
terá sempre esta mesma porta pela frente e as portas que você for fechando em
sua vida, quando quiser reabri-las, elas poderão estar fechadas para toda a
eternidade.
É a repetição perante a criação
É a monotonia monocromática perante ao arco-íris.
É a estagnação da vida
Para a vida, as portas não são obstáculos,mais diferentes passagens…

A Importância de Novos Hábitos

Mude, mas comece devagar,

porque a direção é mais importante
que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair,
procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção
os lugares por onde
você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os Seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia,
ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas
e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama…
depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais…
leia outros livros,
Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.

Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado…
outra marca de sabonete,
outro creme dental…
tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa,
de carteira,
de malas,
troque de carro,
compre novos óculos,
escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas,
outros cabeleireiros,
outros teatros,
visite novos museus.

Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light,
mais prazeroso,
mais digno,
mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda !

Repito por pura alegria de viver:
a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!!!!

Muitas pessoas se tornam chatas porque sempre fazem as mesmas coisas, se divertem da mesma forma, passam a vida curtindo a mesmice…

São pessoas que têm muito apegos a tudo, medo da inovação, falta de criatividade…

Humildade!

   Charles Chaplin-humildade                                     

A verdadeira humildade é firme, segura, sóbria e jamais compartilha com a hipocrisia ou com a pieguice. A humildade é a mais nobre de todas as virtudes, pois somente ela predispõe o seu portador à sabedoria real. O contrário de humildade é orgulho, porque o orgulhoso nega tudo o que a humildade defende. O orgulhoso é soberbo, julga-se superior e esconde-se por trás da falsa humildade ou da tola vaidade. Alguns exemplos talvez tornem mas claras as nossas reflexões.

      Quando uma pessoa humilde comete um erro, diz “eu me equivoquei”, pois sua intenção é de aprender, de crescer. Mas quando uma pessoa orgulhosa comete um erro, diz: “não foi minha culpa”, porque se acha acima de qualquer suspeita.

      A pessoa humilde enfrenta qualquer dificuldade e sempre vence os problemas. A pessoa orgulhosa dá desculpas, mas não dá conta das suas obrigações e pendências. Uma pessoa humildade se compromete e realiza.

      Uma pessoa orgulhosa se acha perfeita. A pessoa humilde diz: “eu sou bom, porém não tão bom quando gostaria de ser”. A pessoa humilde respeita aqueles que lhe são superiores e trata de aprender algo com todos. A orgulhosa resiste àqueles que lhe são superiores e trata de pôr-lhes defeitos.

     O humilde sempre faz algo mais, além da sua obrigação. O orgulhoso não colabora e sempre diz: “eu faço o meu trabalho”.

     Uma pessoa humilde diz: “deve haver uma maneira melhor para fazer isto, e eu vou descobrir”. A pessoa orgulhosa afirma: “sempre fiz assim e não vou mudar meu estilo”.

      A pessoa orgulhosa não aceita críticas, a humildade está sempre disposta a ouvir todas as opiniões e a reter as melhores. Quem é humilde cresce sempre, quem é orgulhoso fica estagnado, iludido na falsa posição de superioridade.

     O orgulhoso se diz cético, por achar que não pode haver nada no universo que ele desconheça, o humilde reverencia o criador todos os dias porque sabe que há muitas verdades que ainda desconhece. Uma pessoa humildade defende as idéias que julga nobres, sem se importar de quem elas venham. A pessoa orgulhosa defende sempre suas idéias, não porque acredite nelas, mas porque são suas.

     Enfim, como se pode perceber, o orgulho é grilhão que impede a evolução das criaturas. A humildade é a chave que abre as portas da perfeição. Pense nisso!

 

A Importância da Autenticidade

Educatrix_cidadania1-1-ENVIOTodos fomos chamados a crescer na verdade e na autenticidade daquilo que somos.
Não podemos viver de sonhos e de ilusões. 
Uma pessoa é autêntica quando se percebe como realmente é, sem mentiras e sem máscaras. A aceitação de si mesmo é a melhor terapia da vida.
Os desequilíbrios psicológicos, desintegrando a pessoa humana, têm início 
quando o homem quer ser aquilo que não é, não aceitando a própria realidade. É necessário construir a própria verdade,dentro de si mesmo,assumindo-a, a todo instante.
É bem ilustrativo o que nos relata R.Tagore.
Conta-nos que, certa feita, o sol já se tinha ocultado por detrás do bosque e os meninos da aldeia regressavam com o gado, agrupando-se ao redor do seu mestre Gantama, quando, de repente, surgiu um menino, desconhecido dos outros, que se saudou o mestre com as mais belas flores e frutos do campo, dizendo:
Mestre Gantama,eu vim para que me guie pelo caminho da verdade. Meu nome é Satya Kama.
Bendito sejas, Satya Kama, disse o mestre. E qual a família que você
pertence, meu filho? Porque só “os brâmanes” podem ser guiados na
sabedoria.

Mestre,eu não sei a que “casta” pertenço,mas vou perguntar a minha
mãe, respondeu-lhe o menino.

Voltou á casa da mãe, perguntando-lhe como se chamava seu pai. A mulher abaixou os olhos e lhe falou com doçura:
Meu filho, quando eu era jovem,conheci muitos amos,muitos homens. Só posso dizer-te que vieste aos braços de tua mãe Jabala que nunca teve marido.
Os primeiros raios de sol brilhavam na copa das árvores do bosque onde o mestre habitava.
Os meninos estava sentados ante o mestre,sob a sombra de uma árvore enorme e velha, quando Satya Kama chegou.
Fez profunda reverência a Gantama e ficou de pé em silêncio.
Fala, disse o mestre. Já sabes que é teu pai, qual é a tua casta?
Mestre, respondeu o menino, eu não sei.
  Minha mãe me disse que conheceu muitos amantes,quando era jovem,e que vim a seus braços,embora ela não tivesse marido.Eis a minha verdade: eu não sei quem é meu pai.


A essas palavras, os alunos do mestre fizeram um rumor enraivecido contra a desavergonhada insolência de Satya Kama,pretendendo ser instruído na sabedoria,sem filiação legítima.

Então o mestre Gantama levantou-se, tomou o menino pelas mãos e disse-lhe:
Satya Kama,tu és o melhor de todos os “brâmanes”, pois tens a mais nobre das heranças: a aceitação da verdade.

Ser “pessoa” consiste em ser o que se é na verdade de todas as suas capacidades, 
sem mentiras, sem falsificações, sem máscaras.

Mas, o homem tem medo da verdade de si mesmo, suscitando “fugas”, 
atitudes compensatórias, mecanismos de defesa, tudo quanto contribui para que a criatura humana não se assuma, não aceite a sua verdade genuína e, por isso mesmo, não de construa. Necessário se faz, como ao personagem de Tagore, que o homem assuma a sua verdade e cresça,como pessoa, na verdade, despojando-se da mentira, de todos os mecanismos de defesa, construindo, com palavras e gestos concretos, a sua verdadeira identidade.

O importante é aceitar-se como realmente se é, com as qualidades específicas e  
também com todas as limitações, com todos os defeitos e virtudes.

Somente assim poderá o homem percorrer o caminho da autenticidade e ser feliz. A nossa evolução enquanto pessoa depende desta   coisa chamada “autenticidade”.