Açude Velho

UM CARTÃO POSTAL  DE CAMPINA GRANDE

Um pouco da sua história

O Açude Velho foi o primeiro açude que Campina Grande já teve. Foi construído por causa da seca que o Nordeste enfrentou de 1824 a 1828. Assim, a construção do Açude Velho pelo governo provincial da Paraíba foi iniciada em 1828 e concluída em 1830, sendo, por quase um século, o maior açude de Campina Grande.

O açude foi construído onde antes havia o “riacho das Piabas”. Não somente os campinenses se beneficiaram com ele, mas também habitantes de outros municípios da Serra da Borborema.

Os outros açudes que vieram a ser construídos mais tarde foram o Açude Novo (1830) e o Açude de Bodocongó (1915).

Em 1841 o açude veio a ser reconstruído.

Mais tarde, nos anos de 1845 e 1877 a região passou por outra grande seca, tendo sido o Açude Velho importantíssimo como fonte de água para a população.

Já faz muito tempo que as suas águas são impróprias  para o consumo e banho. É um pouco esverdeada e uma vez por outra exala um mau cheiro insuportável; tornou-se poluída. Por esta razão já foi matéria de discussão na câmara com proposta de aterramento.

O Açude Velho já foi palco de fatos engraçados:  1º)Um mestre da seita Borboletas Azuis chamado Rodon Mangueira anunciou que iria andar por cima das suas águas na década de 70. A população foi conferir. O líder espiritual quase morreu afogado. Esta seita foi criada em Campina Grande por Rodon Mangueira. Todos os seguidores andavam vestidos com túnicas azul e branco e descalços. 2º) O jacaré que passou a morar nas suas águas e assustar a população.

E também já foi fonte de renda para algumas pessoas que pescavam nas suas águas.

Hoje em dia, o Açude Velho constitui talvez o mais famoso cartão postal da cidade.

Um pouco da minha história

Eu cresci na região deste açude…  Tem muita história para contar.

Quando eu era criança me lembro que existia pedalinhos e passeios de lancha nele. Era uma atração e point de diversão nos domingos da cidade.

Na minha adolescência sempre gostei de caminhar e fazer cooper  ao redor dele que tem uma distância de 2.200m. As calçadas eram apertadas, porém cheias de palmeiras. Já fazem  alguns anos que ele foi reformado ganhando calçadas mais largas e um novo visual.  O Parque da Criança, um dos cartões postais da cidade, foi construído as suas margens o que deu um novo visual a região.

Na década de 80, quando entrei na UFPB costumava freqüentar o CEU que ficava as suas margens. O CEU era o Clube dos Estudantes Universitários e todos os finais de semana era um dos points de diversão da noite campinense com barzinho e boite. Na frente ficava o CAVE, outro barzinho super freqüentado.

Os carnavais fora de época de Campina Grande, a Micarande sempre o teve como um dos cenários ou percurso.

Atualmente, tanto o Açude Velho como o Parque da Criança são locais onde as pessoas fazem caminhadas e exercícios físicos.

Existem dois monumentos próximos ao Açude Velho, os Pioneiros da Borborema e as estátuas de Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga.

Os Pioneiros da Borborema

As estátuas intituladas de “Os Pioneiros da Borborema” foram inauguradas no dia do centenário da cidade, como uma homenagem, no dia 11 de outubro de 1964. A construção do monumento foi decidida por quase unanimidade entre os integrantes da comissão responsável pelas comemorações dos 100 anos de emancipação política Campina Grande. Houve coleta de sugestões com a população para as comemorações.

O monumento é constituído de três figuras representativas: o índio, a catadora de algodão e o tropeiro. O índio representa a origem primitiva da cidade e sua força de luta. A catadora de algodão representa a força da mulher e o acentuado desenvolvimento industrial da cidade gerado pelo ciclo algodoeiro. O tropeiro personifica o comércio e a resistência do povo campinense. O monumento tem sua frente em direção ao nascer do sol, demonstrando o progresso e a esperança com o futuro. Por muitos anos as estátuas indicavam a chegada à Campina Grande para quem chegava da capital e outras cidades do leste.

Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro

Estátuas de bronze de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro foram construídas próximas ao Açude Velho. Para evitar o vandalismo, sempre existe um guarda tomando conta das estátuas.

As fotos

As fotos abaixo são de Giscard Farias Agra, um amigo que conheci no Orkut.Ficaram bacanas, por esta razão resolvi colocá-las aqui.

Um pensamento sobre “Açude Velho

  1. Parabéns, grande Divanicio, fiquei feliz de voltar a minha infância no seu texto e andar nos pedalinhos … Você esqueceu de citar que suas margens foi palco do 2001, onde a juventude ir passear, paquerar e mostrar suas motos e carros !! Bem como, palco dos desfiles de carnavais e do sete de setembro! Grande abraço fraterno, do amigo ambientalista Ramiro Pinto

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s