Inteligência Espiritual

 

 Recebi o mais novo boletim “Somos Todos Um” e achei este artigo muito interessante. A autora faz algumas reflexões bastante interessantes sobre o ser humano. Eu não sou espírita e nem materialista e ao mesmo tempo sou ambos. Sou apenas  uma pessoa do bem. Ser do bem é sempre ser bacana consigo mesmo, com o outro e com a natureza. Mas, lembre-se que ser bom não significa ser o “bonzinho” bobinho que suporta tudo calado… Não vamos confundir as coisas. Esta teologia cristã piegas e repressora confunde tudo em nome do poder hegemômico.

Citação

Você desenvolve sua Inteligência Espiritual?

Anúncios

e-CIG – O Cigarro do Futuro

   
Pois é, neste mundo high tech que estamos inseridos não podia faltar esta novidade: O CIGARRO ELETRÔNICO . É algo atrativo para aqueles defensores e amantes do prazer do fumo .
Desde o ano de 2002, eu tenho trabalhado com Abordagem Cognitiva-comportamental para Tratamento de Fumantes no Ambulatório do SUS com as diretrizes doINCA. No ano passado, esta experiência no Ambulatório de Fumantes foi notícia no Vitrine do Cariri . Trabalhar com dependência de drogas não é fácil, pois a própria dependência implica em três aspectos: física, psicológica e comportamental. E além disso, é importante não esquecer o papel social, cultural e econômico desta substância psicoativa na nossa sociedade.
Algumas dificuldades que tenho encontrado no tratamento estão direcionadas justamente aos aspectos psicológicos; o conflito entre o prazer de fumar e querer deixar; a subestimação da dependência, dentre outros.
Com relação ao aspecto psicológico, tenho lido algumas pesquisas com relação as características de personalidade e a dependência do cigarro. Este aspecto é um fator determinante na dificuldade de cessar de fumar.
De acordo com a psiquiatra Dr. Célia Maria da Costa, o cigarro seria uma maneira de estabelecer algum tipo
de vínculo individual e social, só que de uma maneira mais profana e
destrutiva
.
Esta novidade high tech, provavelmente, seja uma forma de resgatar o espaço negado na sociedade, para o fumante, que se sente excluido pelo discurso cientifico e teológico, como afirma Henrique Pereira.