Música Eletrônica Pop

Este video é fantástico!!!  Sempre gostei das músicas do Jean Michel Jarre, especialmente  Oxygene. O cara é demais!

Jean-Michel André Jarre (Lyon, 24 de agosto de 1948) é um instrumentista, compositor e produtor musical francês, filho do compositor de trilhas sonoras Maurice Jarre.

De acordo com o Wikipédia ele é considerado por muitos o pioneiro na música electrónica pop, bem como um “quebra-recordes” de espectáculos ao ar livre nos quais inclui efeitos laser, de pirotecnia, conjugando imagens projetadas com a arquitetura existente no local do espectáculo, juntando a isso os efeitos surround dos seus temas. O seu primeiro single “oficial” foi La Cage/Erosmachine de 1970, as músicas são bastante experimentais. Muitos afirmam que Jarre gravou as escondidas nos estúdios da GRM durante a noite, e utilizou tudo que esteve em suas mãos para criar efeitos, como por exemplo uma maquina de escrever.

Ainda, segundo o Wikipédia, Jarre vendeu estimadamente 80 milhões de álbuns e singles ao longo da sua carreira (desde 1971) e bateu 4 recordes no Guinness World Records Book.

“Em 1986 ele trabalhou num concerto com a NASA: o astronauta Ronald McNair iria tocar o solo de saxofone da música Rendez-Vous VI enquanto estivesse em órbita no Ônibus espacial Challenger, enquanto os seus batimentos cardíacos seriam usados como amostras de som na mesma música. Esta seria a primeira música gravada do espaço, a ser incluída no álbum Rendez-Vous. Após o desastre com a espaçonave Challenger em 28 de Janeiro de 1986, a música foi gravada com outro saxofonista, recebeu o nome de Last Rendez-Vous – Ron’s Piece e tanto a música, como o álbum foram dedicados aos astronautas mortos no acidente com a Challenger. Ele é um Embaixador da Boa Vontade…” continua a enciclopédia.

Afirma Wikipédia que em 1976 é lançado pela Disques Dreyfus o seu primeiro LP totalmente instrumental e sintetizado, Oxygene, que teve um sucesso estrondoso na França e só um ano mais tarde é lançado no resto do mundo pela Polydor, obtendo igual importância em outros países .

“Devido à grande importância de “Oxygene”, Jean Michel Jarre recebe ainda em 1976 vários galardões, como o ‘Grand Prix Du Disques’ da Charles Cross Academy. Em 1977 a revista americana “People“, coloca Jean Michel Jarre como uma das personalidades do ano, feito notável para um artista francês que tinha acabado de lançar o seu primeiro álbum. Deste LP, para além da sua interessante capa, (o planeta Terra desfazendo-se, com um crânio por dentro), destacam-se os famosos singles Oxygene II e Oxygene IV, sendo o primeiro adaptado em vários anúncios comerciais, e o segundo alvo de variadíssimas covers e do seu primeiro video-clip, em que numa das versões mostra inúmeros pinguins andando no gelo…” completa Wikipédia.

Para conhecer mais sobre o músico , você pode acessar  JEAN MICHEL JARRE.

 

 

 

Acessibilidade está na Moda

Clique aqui para acessar o conteúdo da programação da Sexta Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência em texto.

Aconteceram paralelamente no Salão Negro do Congresso Nacional e no Auditório Petrônio Portela do Senado no inicio de dezembro dois eventos muitos importantes com relação a pessoa com deficiência.

Um deles foi a VI Semana de Valorização da Pessoa com Deficiência. O outro foi  VI Fórum Senado Debate Brasil,  voltado para a Convenção da ONU sobre os direitos das Pessoas com deficiência.

Muito interessante as discussões sobre impedimentos corporais, exclusão e estigmas… nas diversas abordagens.  Um avanço em termos de produção científica, pois a visão biomédica da deficiência traz em seu bojo um discurso exclusivo.

Achei legal a banda Soul Washing Machine de Brasília cujo vocalista é deficiente e o show de Tribo de Jah do Maranhão cuja as letras de suas músicas traz um discurso contra a opressão, discriminação, exclusão, o preconceito e as minorias. Que avanço… Tudo isto no Congresso Nacional!

 

  Veja este vídeo da Tribo de Jah cujos integrantes são cegos:

 

 
 

Um Natal bem Nordestino

 Tenho recebido muitos emails com o texto abaixo. Foi a primeira vez que tive acesso a este tipo de brincadeira com um tom infantilizado, um texto parecendo uma colcha de retalhos, mal elaborado, com conteúdo pobre e linguajar típico do matuto nordestino com um pouco de exagero, é claro!  Contudo, resolvi postar aqui no blog e aproveitar, desejar boas festas para os leitores. Com relação ao video, achei muito bacana e mais criativo!!!

 Um Natal e um Ano Novo bem arretado pra vocês tudim !!!!

       Sobre as suas metas para o Ano Novo

  •  Anote os seus querê e pendure num lugar que você enxergue todo dia.
  • Mesmo que seus objetivos estejam lá prá baixa da égua, vale à pena correr atrás. Não se agonie e nem esmoreça. Peleje.
  • Se vire num cão chupando manga e mêta o pé na carreira, pois pra gente conseguir o que quer, tem que ser é Zé.
  • Lembre que pra ficar estribado é preciso trabalhar. Não fique só frescando.

     Sobre o amor  

  •  Não fique enrolando e arrudiando prá chegar junto de quem você gosta. Tome rumo, avie, se avexe
  • Dê um desconto prá peste daquela cabrita que só bate fofo com você.  Aperreia ela. Vai que dá certo e nasce um bruguelim réi amarelo.
  • Você é um coisalinda. Se você ainda não tem ninguém, não pegue qualquer marmota. Escolha uma coisalinda igual a você.
  • Não bula no que tá quieto. Num seje avexado, pois de tanto coisar com uma, coisar com outra, você acaba mesmo é com um chapéu de touro.
  • As cabritas num devem se agoniar. O certo é pastorar até encontrar alguém pai d’égua. Num devem se atracar com um cabra peba, malamanhado e fulerage. O segredo é pelejar e não desistir nunca. Num peça pinico e deixe quem quiser mangar. Um dia vai aparecer um machoréi da sua bitola.

  Sobre o trabalho

  • Trabalhe, num se mêta a besta. Quem num dá um prego numa barra de sabão num tem vez não.  
  • Se você vive fumando numa quenga, puto nas calças e não agüenta mais aquele seu  chefe réi fulerage, tenha calma, não adianta se ispritar.
  • Se ele não lhe notou até agora é porque num tá nem aí se você rala o bucho no trabalho. Procure algo melhor e cape o gato assim que puder.
  • Se a lida não está como você quer, num bote boneco, num se aperreie e nem fique de lundu. Saia com aquele magote de amigos pra tomar uns merol.
  • Tome umas meiotas e conte uma ruma de piadas que tudo melhora.

    Sobre a sua vidinha 

  • Você já é um cagado só por estar vivo. Pense nisso e agradeça a Deus.
  • Cuide bem dos bruguelos e da mulher. Dê sempre mais que o sustento, pois eles lhe dão o aconchego no fim da lida.
  • Não fique resmungando e batendo no quengo por besteira. Seje macho e pense positivo.
  • Num se avexe, num se aperreie e nem se agonie. Num é nas carreira que se esfola um preá.

   Arrumação motivacional

  • No forró da entrada do ano, coma aquela gororoba até encher o bucho. É prá dar sorte, mas cuidado, senão dá gastura.
  • Tome um burrim e tire o gosto com passarinha ou panelada que é prá num perder a mania.
  • Prá começar o ano dicunforça:
  • Reflita sobre as besteiras do ano passado e rebole no mato os maus pensamentos.
  • Murche as orêia, respire fundo e grite bem alto:

  Sai mundiça !!!                  

      Agora é só levantar a cabeça e   desimbestar no rumo da venta  que vai dar tudo certo em 2011,

     Afinal de contas você é NORDESTINO.

     E para os que não são da terrinha, mas são doidim prá ser,  nosso desejo é que sejam tão felizes quanto nós.

                          

     Peeeeennnnse num ano que vai ser muito bom.  

     Respeite como vai ser pai d’égua esse 2011.

    FELIZ ANO NOVOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

 

RECORTES DE UMA VIDA COM DISTONIA – III

Trago hoje um pequeno recorte da luta de uma colega minha  da comunidade Câimbra do Escrivão do Orkut  para conviver com esta doença/deficiência conhecida como distonia de tarefa específica, mais precisamente Câimbra do Escrivão. Temos o mesmo problema; a doença dela surgiu de forma tardia, já a minha desde a infância. Somos pessoas com um tipo especial de deficiência.

Trata-se de Raquel Garcia, com 32 anos, que é bancária. Ela é mineira de Poços de Caldas e mora em Belo Horizonte há quase dois anos.

Raquel me disse: “Eu sempre tive a letra bonita, inclusive há cinco anos eu escrevi os 200 convites do meu casamento”.

Ela  trabalha com computador há pelo menos oito anos direto, então quando há dois anos atrás  percebeu que sua letra estava ficando feia e sentia dor ao escrever; achou que era por causa da falta de prática.

Relata que sentia suas unhas enfiando na mão ao escrever, achava que deveria cortá-las mais curtas. Depois o antebraço começou a doer demais.

Afirma: “Aí eu comecei a mudar minha forma de escrever, e foi no início deste ano que a caneta voou da minha mão a primeira vez. Eu falava para todo mundo que eu tinha desaprendido a escrever. Aí a mais ou menos sete meses atrás percebi que a torção que eu fazia estava cada vez mais forte e a dor no antebraço, ombro estava piorando”.

Então, foi a um neurologista, fez a neuromiografia, escreveu para ele ver, mas o médico falou que não era câimbra do escrivão e sim problema de postura.

Disse que foi na nossa comunidade que viu a indicação da Dra. Sarah Camargos, uma neurologista de BH especializada em distonia.

“Ela me explicou muitas coisas da doença e explicou que o diagnóstico é clínico e assim que eu tentei escrever a primeira palavra ela já tinha certeza do diagnóstico. Eu saí de lá arrasada, pois é horrível ter algo que não tem cura e que eu não posso fazer nada para não agravar”, afirma Raquel.

Com relação ao tratamento, ela disse que está tomando o Akineton 2 vezes por dia e fez uma aplicação de botox.

“Talvez com o remédio eu fique, mas o botox eu não quero mais aplicar, pois estou com menos força na mão, meu dedo médio ficou muito mole. Pelo menos sem ele a doença não me atrapalhava nas outras atividades do dia a dia”, relata ela.

Relata que tem ainda feito fisioterapia para corrigir a postura e melhorar a dor que estes 2 anos de posições tortas  causaram.

Com relação ao sentimento por ter esta doença/deficiência afirma que  sente-se mal e sozinha, pois a Câimbra do Escrivão não é conhecida e é até difícil explicar. Por sorte eu não preciso escrever tanto e tenho tentado escrever com a mão esquerda. E ainda, afirma: “Sei que a comunidade tem me ajudado muito, não me sinto tão sozinha.”

 

 

Minhas Considerações:

Realmente é muito difícil viver com esta doença/deficiência, pois em primeiro lugar é pouco conhecida e não tem tratamento; em segundo lugar, a distonia de tarefa específica ainda não é considerada uma deficiência física; e por último é muito angustiante viver na civilização da escrita e da computação e ter exatamente esta limitação: não conseguir escrever e nem digitar.

Mas, a maneira mais saudável de enfrentar o problema como me disse uma vez uma neurologista do Sarah Kubitschek é procurar formas de adaptação e compensação. O chato é quando não existe mais jeito. A doença, definida como um desequilíbrio químico nos neurotransmissores,  elimina todas as formas compensatórias para escrever criadas pela pessoa com esta deficiência… Há algumas características ou sintomas como o que Raquel citou: pegar com força na caneta, dor no antebraço, tremores e insegurança na postura. E outros como sulpinação ou pronação do antebraço, elevação do cotovelo, etc.

Com relação ao tratamento, o akineton ajuda um pouco em alguns casos, mas só no início. Eu já usei também. É bom lembrar que cada pessoa tem uma história. Esta deficiência chamada distonia de tarefa específica(neste  caso, câimbra do escritor) tem algumas características apresentáveis a olho nu  quando o paciente tenta escrever.

 

 

Esta foto é da colega tentando articular uma postura para escrever.

Em outros artigos eu mostrei fotos de posturas da mão com a deficiência mais avançada.

Botox X Câimbra do Escritor

    

botulinum toxin picture1 

  Estudo feito na Universidade de Calgary, Canadá, sugere que o uso prolongado da toxina botulínica pode causar atrofia e perda de força muscular tanto nas regiões próximas quanto nas distantes do local da aplicação, de acordo com reportagem da Folha de São Paulo.

          O uso do botox no tratamento da cãimbra do escritor tem um efeito positivo nas primeiras aplicações, porém com o passar do tempo percebe-se efeitos colaterais como atrofia e perda da força muscular. Já tive uma experiência assim tanto com o botox quanto com o dysport. Desisti das aplicações por este motivo. Tanto o botox quanto o dysport  implica no mesmo risco.

La Crampe de L’écrivain

Crampe de l’écrivain é o nome na língua francesa para a doença/deficiência neurológica conhecida no Brasil com o nome de câimbra do escrivão.  Na verdade, a tradução do francês para as línguas inglesa e portuguesa é “câimbra do escritor”, assim como  para qualquer outra língua é desta forma; na língua espanhola, por exemplo, CE é “calambre del escritor”.

A língua portuguesa é complexa; tanto faz um termo quanto o outro. Mas, eu penso que “Câimbra do escritor”, assim como está na língua francesa, é mais adequado –  e etimologicamente correto –  para categorizar este tipo de Distonia de Tarefa Específica. De acordo com o dicionário Aurélio a palavra “Escrivão” é sinônimo de “Escriba” e significa: “oficial público encarregado de escrever autos, atas, termos de processo e outros documentos legais junto a diversas autoridades, tribunais, corpos administrativos, etc”.  Com relação a palavra “Escritor“, a definição mais plausível é: “a pessoa que se expressa através da arte da escrita”. Por isso que, daqui em diante, ao se referir a esta condição de saúde, eu irei sempre falar em  “CE – Câimbra do Escritor“.

Na língua francesa,  a câimbra do escritor é descrita como Dystonie de fonction que significa distonia focal ou distonia de função específica. Esta categorização é usada na literatura médica brasileira, também.

Quando se tem uma limitação ou “impedimento corporal” desta natureza,  o primeiro impulso é buscar informação sobre a doença e alguma forma para minimizar o sofrimento; e depois procurar pessoas com a mesma condição de saúde para compartilhar as experiências de vida com distonia. Pois, além das limitações físicas, a distonia afeta a autoestima, provocando graus de ansiedade e depressão. E em alguns casos, a doença leva ao isolamento do convívio social e de acordo com os neurologistas, os impactos no trabalho podem ser ainda mais prejudiciais, já que os portadores da câimbra do escritor apresentam a impossibilidade da escrita e da digitação.

Com este Blog, eu pretendo criar um espaço informativo, de conscientização e educação  sobre esta doença estranha que é considerada o 3ª distúrbio neurológico do movimento mais comum depois da Doença de  Parkinson e do Tremor Essencial. Almejo, também, ajudar a desmistificá-la e encorajar a todos que vivem com distonia a sair do ANONIMATO e do CASULO.  Na verdade, a motivação para tal façanha surgiu depois de  ter participado da Comunidade  “Dystonia Neuro Movement Disorder”  no WegoHealth.

Eu acho que a nossa motivação maior deve ser a seguinte: (1º) buscar uma articulação de  todos os pacientes para sermos Defensores das pessoas com distonia e desenvolver relações diplomáticas com nossos líderes legislativos para sensibilizá-los com relação a nossa condição de saúde e ajudá-los a compreender os desafios de todos aqueles que vivem com distonia; (2º) buscar sensibilizar a população e os políticos com relação a um esforço global para investir nas pesquisas em busca da cura da distonia e outros transtornos neurológicos do movimento como a doença de Parkinson.

Nas minhas pesquisas para entender mais sobre a Câimbra do Escritor, tenho visto que em alguns países do chamado primeiro mundo as pessoas que sofrem de distonias tem um melhor suporte em todos os sentidos e estão mais organizadas a exemplo da Dystonia Advocacy Network, Amadys, Deutsche Dystonie Gesellschaft, The Dystonia Society e outras associações sem fins lucrativos; grupos de apoio e fundações de pesquisas como a DMRF.

Para que o leitor tenha noção da gravidade desta doença, eu escolhi esta foto abaixo de uma pessoa com câimbra do escritor que encontrei no site alemão Entwicklungsgruppe Klinische Neuropsychologie (Desenvolvimento de Neuropsicologia Clínica) e que mostra exatamente como é  uma das  posturas compensatórias da mão(sintoma)  ao tentar escrever: