Distonia no Youtube – Ver para Crer

dquiriu

Segundo o artigo “Distúrbios do Movimento no YouTube – Caveat Spectator” publicado pelo The New England Journal of Medicine (22 de setembro de 2011), “a Internet tornou-se o principal recurso para a informação médica, além de proporcionar um fórum para os pacientes a partilhar as suas experiências pessoais. Distúrbios do movimento, que incluem a doença de Parkinson, distonia e tremor, são  condições neurológicas comuns que prontamente se prestam à demonstração em vídeo”.

De acordo com o artigo ”…um painel de especialistas em distúrbios do movimento recomendou que os médicos advirtam a seus pacientes para terem cautela sobre a obtenção de informações de fontes potencialmente não confiáveis na internet. Esta recomendação foi feita após uma avaliação dos 29 vídeos mais populares do YouTube de pessoas que afirmam ter um distúrbio do movimento orgânico”.

A revisão mostrou que os casos psicogênicos de várias formas de distonia relatadas e outros distúrbios do movimento foram predominantes. Apenas 34% dos vídeos foram julgados realmente o que representam o distúrbio que o indivíduo alegou ter.

“A informação a partir de fontes não confiáveis pode causar preocupação excessiva, retardar o diagnóstico adequado e levar à utilização de tratamentos não comprovados e potencialmente prejudiciais”, diz o artigo.

Historicamente, a definição de distonia tem sido atormentada pela visão de que é um resultado de distúrbios psiquiátricos, em parte devido a suas várias e por vezes, diferentes formas clínicas. Agora é bem reconhecido que a distonia é uma doença neurológica, embora casos semelhantes de distonia, como para outros distúrbios do movimento, podem ocorrer ocasionalmente como manifestações de distúrbios psicogênicos. Avaliação por um especialista em distúrbios do movimento é essencial para pacientes com problemas relacionados ao diagnóstico e tratamento.

No tocante ao diagnóstico, precisamos ser criteriosos e profissionais. Eu fico preocupado com relação a isto porque toda dificuldade com relação a escrita, por exemplo, as pessoas dizem que é síndrome do escritor. Existe uma tendência das pessoas em geral afirmarem, por exemplo, que o pianista e maestro  João Carlos Martins tem câimbra do escritor, mas o que me parece é que a dificuldade e inaptidão dele para tocar ou escrever foi devido a alguns acidentes, conforme ele mesmo relata neste vídeo, e não pelo fato de ter distonia focal de tarefa específica. Na verdade,  o maestro adquiriu uma doença chamada contratura de Dupuytren ou moléstia de Dupuytren conforme esta reportagem. Eu penso que é salutar definirmos o diagnóstico deste transtorno neurológico do movimento e estarmos atentos aos diagnósticos diferenciais para que não seja difundida informações incorretas para a população.

Anúncios

I could not Play that Horn

I was very happy to be part of the NHBPM. Although I could not do a post per day, but managed to write ten articles in this month of November for NHBPM. This was too much for me, because I have a great difficulty to type and write because of   writer’s cramp  and upper limb dystonia.

I was very proud because of this opportunity. Congratulations to the people who organized this action for health activists bloggers. Write every day is an exercise in creativity and a challenge to make nice and attractive posts to  critical and demanding readers.

O que não é Câimbra do Escritor

Eu tenho percebido que muita gente

têm confundido o diagnóstico de (CE) Câimbra do Escritor.

É importante  distinguirmos o que é e o que não é CE

Para tratarmos do assunto com um certo rigor.

 

A CE  é um distúrbio neurológico do movimento.

É uma das distonia focais da mão.

São contrações involuntárias e dolorosas do músculo esquelético.

É uma desprogramação neuroquímica

Nos Gânglios da Base, um grupo de núcleo no cérebro.

É uma síndrome  neurológica que provoca uma limitação.

Que afeta a psicomotricidade fina;

Que congela os movimentos na execução de tarefas específicas.

É  G 24.8 e  G 25.9, na nosologia clínica.

É um transtorno do movimento e uma doença extrapiramidal,

Que ao escrever, provoca posturas compensatórias.

É  uma deficiência e um impedimento corporal…

Por enquanto… ainda juridicamente sem embasamento.

É ansiedade, descontrole e fobia social.

É  uma síndrome complexa que limita os movimentos;

Que provoca contrações, contorções…

Espasmos e Movimentos Involuntários.

No emocional,  conflitos e depressões…

Doença que limita e impede o ato de escrever.

Que causa frequentes posturas irregulares e torsões.

E que existem pelo menos 5 sub-tipos de CE, pode crer.

 

CE não é uma doença  ocupacional.

Não é  causada por movimento repetitivo.

Não surge de forma ocasional.

Não é um transtorno neurótico…

Nem tão pouco psiquiátrico ou conversivo;

Não é transtorno somatoforme ou  psicossomático…

Nem tão pouco dissociativo.

Não é  F 48.8 conforme na  CID 10 está sua classificação.

Não é meramente uma câimbra.

Não é do escrivão,

Como disse um paciente de Coimbra.

Não é uma tensão ou lesão no músculo …

Nem tão pouco  mera espasmódica contração.

Não é um problema  simples  ou simplesmente neuroses.

Este é um pensamento ridículo.

CE não tem tratamento e nem solução.

Não resolvem Botox, BZD’s e orteses.

Adaptadores ajudam em algum caso pessoal.

Tudo é um paliativo!

CE não é a causa nem a conseqüência de qualquer outra distonia focal.

 

Distonia e Parkinson são diferentes por completo

Enquanto a primeira é doença  hipercinética

E um distúrbio não degenerativo,

O Parkinson tem a atividade funcional diminuída.

Enquanto uma tem diagnóstico preciso

A outra não o tem ainda;

Seja qual for o tipo básico

CE  Simples ou Distônica.