Um dia com Distonia/A day with Dystonia

inadimplência_cheques

Hoje eu percebi mais uma vez como é difícil viver bem na civilização da escrita e na era da mídia digital quando se é um paciente com CE –  Câimbra do Escritor. No corre-corre para resolver problemas simples como preencher um formulário numa dada repartição, preencher um envelope para depósito de cheque, assinar alguns documentos e usar o computador para enviar alguns emails eu me enrolo, me deparo mais uma vez com a limitação e a dificuldade que eu tento superar e não consigo.

Tento ficar bem, mas estas pequenas coisas são o suficiente para me tirar do sério, me deixar chateado e cansado: me faz perder o dia. Eu sei que estes sentimentos são naturais para qualquer pessoa que tenha uma deficiência ou limitação corporal e tenta superá-la sem sucesso.

Mas, como conviver bem com tudo isto diariamente sem que a vida se torne um fardo e uma jornada desanimadora?  Como ficar bem  se depois de tanto esforço eu não consigo executar tarefas simples como preencher um formulário…

 A day with Dystonia

Today I realized once again how difficult it is to live well in the writing civilization and in the digital media age when you are a patient with WC – Writer’s Cramp. In the hustle and bustle to solve simple problems like filling out a form in a public office, fill out an envelope to deposit check, sign some documents and use the computer to send some emails I get paralyzed and faced once again with the disability caused by dystonia that I try to overcome and I can not.

I try to be fine, but these little things are enough to make me crazy, make me upset and tired. I know these feelings are natural for anyone who has a disability or physical limitation and try to overcome it without success.

But how to get along well with all this without my own life becomes a burden and discouraging journey? How will I be well  if I can not performing simple tasks like filling out a form, despite all my effort… How to deal with crippled hands and a debilitating disease if I need to write all the time?

6 pensamentos sobre “Um dia com Distonia/A day with Dystonia

  1. La vida es demasiado corta para sufrir por aquello que no podemos cambiar. Si la enfermedad te pone de rodillas, en tus manos está levantarte, demuéstrala que puedes con ella. La aceptación es la palabra es la palabra más poderosa del mundo. Ve a a por ella.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que é difícil, é. Certas coisas também não consigo fazer só, e isso machuca. Entretanto, o que me incomoda mais são os olhares/comentários : “que menina estranha, diferente, olha só o braço dela”
    Mas a vida continua e nós temos que mostrar pro mundo que não somos inferiores a ninguém e podemos viver bem, mesmo com nossas limitações.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Thank you for writing this.. I have had writer’s cramp since a child, and it is amazing how many people do not realize how difficult simple things like filling out a check can be. Sometimes I simply refuse to fill out forms.. saying I will bring them back later (and have someone else write it for me!) Stay strong and thanks for sharing. http://thiswriterscramp.blogspot.com/

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s